1 de fev de 2010

Os Gêmeos da Salgado Filho

Claro que poderia falar da Borges de Medeiros. Mas falar em Senador Salgado Filho tem um gostinho especial. Foi a rua da minha infância, na casa do seu Pasqual, que não existe mais ....

Na esquina da Avenida Borges de Medeiros com a Rua Senador Salgado Filho, há mais uma das rótulas de Gramado, que tornam a cidade isenta de sinais, semáforos ou sinaleiras (sinônimos para eliminar o regionalismo). E um detalhe intrigante é a presença dos gêmeos: apesar de todas as "cirurgias plásticas" que foram submetidos, irmãos gêmeos são irmãos gêmeos. Eles são esses dois maravilhosos prédios:

O curioso é que quase passa despercebido. E são prédios históricos de Gramado. O projeto do Jorge Bishoff é legal por preservar a história de um deles, introduzindo um conceito arquitônico moderno ao mesmo tempo. O outro se mantém gêmeo, porém com menos plastias.


Apesar da fotometria um pouco estourada (o ideal seria um HDR), acho que vale pelo contraste de iluminação que realmente se percebe no local. Olha o visual noturno dessa loja, na maravilhosa Borges de Medeiros:

E mais uma vez, os irmãos posam pra um retrato.



Avenida Borges de Medeiros e Rua Senador Salgado Filho
Centro - Gramado
Legal para fotos em passeio noturno
Lojas J.Bishoff, Giovana Regalli, Vanutti
Restaurante Garden Grill

2 comentários:

Marilia disse...

Estes gêmeos tinham um pulsar de vida muito mais correto em suas arquiteturas originais. Mas Gramado não quer e não se permite envelhecer. Eterna dama da moda, esquece de deixar em sua trajetória, as marcas corretas de seu andar. Que pela. Tuas fotos seriam muito mais lindas com as verdades destes dois prédios. Em preto e branco, é claro.
Marilia Daros, Historiadora

Pazetto disse...

Acredito que discussão arquitetônica é, naturalmente, inconclusiva. Técnica, emoção, beleza, história, escola de artes ... muitos fatores e muitas opiniões entram em questão. Entendo tuas palavras, e até concordo de certa forma. Mas olhando por um lado, ainda são gêmeos poupados e contando histórias da cidade.
Um pequeno detalhe é que conversei com alguns fotógrafos e, de fato, a fotometria no prédio do Jorge Bishoff (projeto que gostei muito) "estoura" quase sempre, pela quantidade de luz. Se corrigir a fotometria para aparecer completo, não parece que está em Gramado, pois tudo fica escuro. Poderíamos pedir uma pequena redução na luz de lá? Fica a minha dica, pelo bem dos que fotografam Gramado e pela bela loja.